liderança feminina

Liderança feminina na Comunicação Corporativa: 11 mulheres inspiradoras para seguir agora mesmo

Este post sobre liderança feminina na Comunicação Social é uma publicação especial do blog Assessor de Imprensa para o dia 8 de março, o Dia Internacional da Mulher.

Se você acompanha o blog AI, uma iniciativa da Knewin – News and Social Monitoring, sabe que aqui é um espaço criado para compartilhar conhecimento sobre os diversos aspectos da assessoria de imprensa, comunicação corporativa, relações públicas e marketing.

E liderança feminina é um tópico que não podemos deixar de lado, não é mesmo?

Afinal, em um mercado em que, segundo a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), as mulheres representam 64% da força de trabalho¹ no Brasil, por que ainda vemos poucas mulheres em cargos de liderança?

Além disso, de acordo com a pesquisa Mulheres no jornalismo brasileiro², realizada pela Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) e a Gênero e Número, com o apoio do Google News Lab, 65% das profissionais entrevistadas afirmaram haver mais homens em cargos de liderança.

Levando isso para o cenário mundial, temos um relatório³ que nos alerta que apenas 30% das agências de relações públicas são lideradas por mulheres.

Pensando neste cenário (e utilizando este espaço de conhecimento), trouxemos, para este post, 11 exemplos de comunicadoras sociais que fazem a diferença no mercado de trabalho em cargos de liderança.

Nosso intuito é valorizar todas as mulheres jornalistas, assessoras de imprensa, relações públicas, designers, atendimento, diretoras de arte, diagramadoras, professoras de comunicação, empreendedoras…

Este post é uma forma do Blog Assessor de imprensa (que é escrito por uma jornalista) dizer: “We can do it!”.

11 exemplos de liderança feminina para fazer a diferença neste 8 de março

Esperamos que este post, com 11 comunicadoras sociais inspiradoras, faça a diferença em sua vida neste 8 de março.

Se você é uma comunicadora social, não duvide das suas habilidades profissionais.

Arrisque. Lute pelo seu espaço no mercado de trabalho. E, acima de tudo, incentive outras mulheres a continuarem batalhando na área da Comunicação Social.

Além disso, valorize o trabalho de uma comunicadora social, indique uma mulher para uma vaga em sua empresa e apoie outras profissionais. Juntas, somos mais fortes.

1. Lany Blanco

Fundadora da Editorial Link, agência que faz monitoramento de mídias para marcas de luxo na América Latina e no Caribe, Lany Blanco é a nossa primeira inspiração de liderança feminina deste post do blog AI.

Lany Blanco

Ela lidera uma agência que atende empresas como Chanel e Mont Blanc, garantindo um olhar estratégico sobre o que a imprensa fala dessas marcas, por exemplo.

Ou seja, ela traz o olhar aguçado do monitoramento de informações para mensurar o luxo e para garantir mais competitividade às marcas na era digital.

Em uma entrevista para o blog The Startup Growth, publicada na plataforma Medium, Lany Blanco disse que decidiu empreender no nicho de monitoramento quando viu a necessidade que existia no mercado das marcas de luxo.

Além disso, ela ainda fala que quando notou essa necessidade, não deixou a oportunidade passar. Afinal, sabia que alguém, eventualmente, iria criar algo nesse cenário e que ela iria ficar pensando “eu deveria ter feito”.

Ou seja, Lany é um ótimo exemplo de liderança feminina para nos inspirarmos sempre que estivermos em dúvida se nos lançamos em um novo desafio, por exemplo. Afinal, We can do it, certo?

2. Débora Alcantara

Débora Alcantara

Considerada LinkedIn Top Voice de 2018, Débora Alcantara é empreendedora, RP e especialista em branding e construção de marcas.

Ela é nossa segunda inspiração de liderança feminina no cenário da Comunicação Social.

Junto com suas 2 irmãs, fundou o blog Tudo Orna, canal para produção de conteúdo que existe desde 2010.

Com trabalho árduo, paixão e muita produção de conteúdo, o blog das irmãs Alcântara deixou o mundo digital e se tornou uma marca de maquiagens, de bolsas e, inclusive, de café.

Além disso, ela também dá cursos de branding e empreendedorismo.

Débora Alcantara produz, com frequência, conteúdos sobre comunicação e branding em seu canal do LinkedIn.

Para conferir os conteúdos produzidos por ela, é só clicar aqui.

3. Júnia Braga 

Jornalista e especialista em relações com a mídia, Júnia Braga é outra inspiração do nosso post sobre liderança feminina. Eu, se fosse você, daria uma conferida nos textos que ela escreve no LinkedIn.

Júnia Braga

Fundadora da JB Press House, agência sediada em São Paulo, Júnia atua com RP, relacionamento com a mídia e produção de conteúdo digital, tudo voltado para comunicação organizacional. Tudo a ver com o blog AI.

Júnia utiliza todo o conhecimento em comunicação organizacional para ajudar empresas a conquistarem ótimos resultados.

Além disso, outro fato interessante para o nosso post é que, aos 21 anos, ela prestou serviço para uma multinacional coreana – e se manteve focada para entregar os melhores resultados possíveis para a empresa. We can do it!, não é mesmo?

Ela também escreve para o blog da JB Press House e, como já falamos aqui no post, no LinkedIn. Aliás, tem uma publicação chamada “Será que as mulheres vão dominar o mundo? Teoria da agenda settingque vale a pena conferir.

4. Isabela Pimentel 

Jornalista, Especialista em Comunicação Integrada e Mestranda em Criação e Produção de Conteúdos Digitais, Isabela Pimentel é nosso quarto exemplo de liderança feminina.

Isabela Pimentel

Ela fundou, no Rio de Janeiro, a Comunicação Integrada, uma empresa de cursos voltados para assessoria de imprensa, com a missão de compartilhar conhecimento, sempre praticando empatia, altruísmo e compromisso.

Além de cursos, ela também atua com workshops e consultorias para empresas, a 

fim de ajudar a consolidar uma imagem de marca sólida em um mercado tão competitivo quanto o digital.

Ela ainda dá palestras sobre assessoria de imprensa, ministra cursos na ESPM do Rio de Janeiro e já fez parceria com o nosso blog, sabia? A gente tem um e-book sobre assessoria de imprensa digital com ela.

Para fazer o download do e-book Muito além do release – desafios do assessor de imprensa digital, é só clicar aqui.

5 e 6. Deborah Jacob e Sheila Magri

Sheila Magri

Nosso quinto e sexto exemplos de liderança feminina mostra que união profissional faz a diferença. O apoio entre comunicadoras sociais fez com que uma agência de comunicação empresarial e assessoria de imprensa nascesse, a MACOB Communications.

Deborah Jacob

Deborah Jabob, relações públicas, e Sheila Magri, jornalista, uniram o conhecimento profissional e, hoje, são líderes de uma agência que ajuda empresas a promoverem as marcas e aumentarem a conscientização sobre missões e valores, além de crises de imagem.

Sheila atua com Comunicação há mais de 15 anos, desenvolve palestras sobre Storytelling e elabora estratégias de Media training, com o intuito de preparar os porta-vozes das organizações para as mais variadas situações.

Deborah  já atuou como liderança em empresas multinacionais, chefiando projetos, ganhando confiança e conhecimento e estruturando seu lugar no mercado de trabalho como uma comunicadora social inspiradora para o nosso post.

7. Andressa Griffante

Andressa Griffante é uma jornalista gaúcha que está no nosso post por atuar como empreendedora na Agência RSbloggers.

Andressa Griffante

Ela trabalha unindo influenciadores digitais no RS e compartilhando estratégias assertivas para essa profissão.

Além disso, estrutura estratégias de marketing de influência e dá cursos e palestras sobre temas relacionados ao dia a dia dos influencers, ou bloggers.

Em 2016, Andressa foi considerada uma das 30 profissionais mais influentes no meio digital pelo YouPIX Builders. Mais uma comunicadora social inspiradora para o nosso post.

Ela também é fundadora do evento Encontro de Influenciadores Digitais RS, que acontece anualmente para reunir os influencers gaúchos, incentivando o compartilhamento de conhecimento e networking.

Para terminar, ela ainda atua em um blog chamado Passageira, em que publica conteúdos relacionados ao universo de cultura e viagens.

8. Minas de propósito

Fundadoras do Minas de Propósito
Fundadoras do Minas de Propósito

O nosso oitavo exemplo de liderança feminina não é uma profissional em particular, e sim o Minas de Propósito, um coletivo fundado por 4 mulheres:

    1. Adriane Fernandes (fundadora da E-commerce Coach, startup de marketing digital para lojas virtuais).
    1. Estela Rocha (Coordenadora de Planejamento da Agência Escape).
    1. Miriã Antunes (profissional de Relações Públicas, com experiência de mais de 7 anos com eventos e atendimento, além de ser Gerente de Relacionamentos no Fala Mais, RP, coletivo do RS).
  1. Shaíze Maldonado Roth (Empreendedora, psicóloga e coach).

Por que o Minas de Propósito é um exemplo de liderança feminina do nosso post?

Bem, por um simples motivo: esse coletivo, fundado por 4 mulheres, tem o objetivo de impulsionar diversas profissionais a acreditarem em si mesmas e a entenderem que podem, sim, conquistar um espaço no lugar em que quiserem.

Ou seja, são 4 profissionais que, juntas, mostram que liderança feminina é possível, sim, por mais difícil e desafiador que seja o caminho que ainda temos que percorrer.

Por fim, vou citar uma publicação de fevereiro de 2019 da fanpage do coletivo: “seja uma mulher que levanta outras mulheres”.

E isso explica o porquê dessas 4 profissionais fazerem parte do nosso post, não é mesmo?

9. Cristina Schachtitz

Nossa nona inspiração para este post é uma liderança feminina na Edelman, uma grande empresa global de comunicação corporativa (com 65 escritórios em todos os continentes) que ajuda empresas (desde 1952) a construírem e manterem a reputação em um mercado tão competitivo e delicado.

Cristina Schachtitz

Cristina Schachtitz é Vice-Presidente Executiva na Edelman Brasil e lidera as áreas de Engajamento Corporativo e Crise. O foco de seu trabalho é aprimorar a percepção que as organizações têm com os públicos de interesse.

Na Edelman, Cristina ajuda na estruturação de estratégias que promovem engajamento com as audiências, com a finalidade de criar laços de confiança sólidos em um mundo cheio de marcas e informações à disposição dos consumidores.

Em sua carreira profissional, que já soma mais de 30 anos, Cristina já atuou com gestão de crise, implantação de programas de comunicação corporativa e estruturação de treinamentos de comunicação. Todos aspectos relacionados ao nosso blog.

10. Gisele Lorenzetti

Gisele Lorenzetti

O décimo lugar do nosso post é ocupado por Gisele Lorenzetti, uma comunicadora social que é liderança feminina como fundadora da Associação Brasileira de Agências de Comunicação (Abracom). 

Atualmente, lidera a LVBA comunicação, uma agência boutique em São Paulo.

O que isso quer dizer? Gisele trabalha com gestão de imagens de empresas de forma muito cuidadosa.

Agências boutiques, como a que Gisele lidera, têm uma visão diferente de gestão de comunicação externa.

São agências que cuidam, de forma estratégica, do negócio dos clientes, sempre entendendo que cada caso é diferente do outro.

Ou seja, há uma atenção especial para cada cliente.

Ela já foi finalista do Troféu Mulher IMPRENSA, na categoria assessoria de imprensa, e é coautora do livro Assessoria de Imprensa e Relacionamento com a Mídia – Teoria e Técnica.

11. Mônica Brissac

Com 20 anos de experiência nas áreas da Comunicação Social, Mônica Brissac é nossa décima primeira comunicadora social para se inspirar neste 8 de março.

Mônica Brissac

Atualmente, ela lidera a Ketchum Brasil. Com uma carreira profissional sólida, Mônica já atuou com planejamento de comunicação estratégico, com mapeamento de estratégias para aprimorar o relacionamento com stakeholders e com gestão de crise.

Como profissional e líder, desenvolveu habilidades-chave para potencializar a rotina.

Flexibilidade, criatividade e adaptabilidade são exemplos.

Essas características a ajudam a manter a produtividade e o empenho de sua equipe, o que é essencial no trabalho comunicação externa, certo?

Por fim, as 11 profissionais que selecionamos para este post são exemplos das comunicadoras sociais que temos no mercado de trabalho brasileiro.

Esperamos que elas sirvam de inspiração para sua rotina e te mostrem que podemos, sim, ter uma liderança feminina nas agências de comunicação.

Além disso, queremos saber sua opinião sobre esse assunto. Então comente aqui no blog, compartilhe nosso post nas redes sociais e, o mais importante, não duvide de suas habilidades como jornalista, assessora de imprensa ou gestora de agência!

Referências:

    1. Estudo da Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ : http://fenaj.org.br/tag/dia-internacional-da-mulher/
    2. Pesquisa Mulheres no Jornalismo Brasileiro: https://www.mulheresnojornalismo.org.br/
    3. Public relations agencies are dominated by women. So why are all their leaders men?

5 comentário em “Liderança feminina na Comunicação Corporativa: 11 mulheres inspiradoras para seguir agora mesmo

  1. Que nós mulheres continuemos nos inspirando umas nas outras! Bela iniciativa e fico muito feliz por integrar essa lista! Certamente é um incentivo a mais pra seguir compartilhando conhecimento, criando e produzindo mais!

  2. Que a sensibilidade, a garra, a competência, a elegância e o senso de justiça prevaleçam em respeito às mulheres que lutam e conquistam, com determinação e sucesso, seus objetivos; para que juntos vençamos tantos desafios impostos pela brutalidade, ignorância e fraquezas machistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *