comportamento do consumidor

Como o comportamento do consumidor afeta as ações de assessoria

Se o comportamento do consumidor da marca de seu cliente não faz parte do seu radar da assessoria de imprensa, saiba que é hora de mudar esse cenário.

A forma como os consumidores se comportam no meio digital, o que dizem, o que compartilham e quem seguem são coisas que influenciam as ações de assessoria de imprensa.

Se não nos preocuparmos com esse fato, deixamos nossos clientes estagnados na competitividade com a concorrência. E ainda podemos deixar a marca vulnerável a crises de imagem desnecessárias. Isso por  causa de feedbacks negativos que não demos a devida importância.

5 pontos do comportamento do consumidor que influenciam a assessoria de imprensa

O blog AI considerou todo o cenário do comportamento do consumidor X ações da assessoria de imprensa e mapeou 5 pontos que precisam estar inseridos no radar do público de interesse da marca.

Esses 5 pontos fazem parte de estratégias importantes na assessoria de imprensa digital. E eles estão atrelados à observação de como o consumidor se comporta nos canais sociais.

Entenda que isso vai te dar uma base sólida para estruturar ações mais efetivas de comunicação, que estejam mais alinhadas com as necessidades do público de interesse.

E não esqueça que nossas 5 dicas funcionam como um guia para sua rotina, mas não são estáticas. A forma como a observação do comportamento do consumidor afeta a assessoria de imprensa é flexível e depende da realidade de cada marca.

1. Produção de conteúdo para redes sociais

O comportamento do consumidor tem forte influência nos conteúdos que produzimos para os canais sociais de nosso cliente.

Afinal, precisamos pensar em pautas que estejam alinhadas com os interesses do público de interesse da marca assessorada. Se não nos preocuparmos com isso, vamos ter falhas no engajamento com os consumidores.

Para criar conteúdos, temos de entender como nossos consumidores, e possíveis consumidores, agem em determinado canal social.

Um lembrete: não esqueça que cada canal social tem suas particularidades. O Stories do Instagram tem uma dinâmica. Os cards para Facebook têm outra.

Quando você mapeia a forma como os consumidores se comportam em cada rede social, fica mais fácil criar pautas e planejar conteúdos. Afinal, você analisa o que é mais compartilhado. Observa quais as hashtags mais utilizadas. E compreende quem são os influenciadores mais seguidos.

E conteúdos planejados com mais assertividade e mais alinhamento com o comportamento do consumidor significam mais engajamento para a marca.

Mais engajamento representa a criação de laços de confiança mais sólidos. Ou seja, melhor visibilidade para a marca e mais chances de alcançar os objetivos da empresa.

  • Como entender o público nas redes sociais

Mas se você não sabe como mapear o público e entender o comportamento das pessoas nas redes sociais, saiba que existem algumas formas de fazer isso:

  • Stalkear. Sim, entrar no perfil das pessoas que mais comentam ou compartilham os conteúdos da marca é uma ótima maneira de entender o comportamento do consumidor.
  • Criar enquetes no Facebook, para que as pessoas usem o recurso reactions para votar no que mais se interessam
  • Criar enquetes no Stories do Instagram. Esse é um ótimo recurso para criar pautas relevantes e interessantes neste canal social.
  • Analisar hashtags no Twitter. Isso vai te dar uma base sobre o comportamento das pessoas na rede social dos 140 caracteres.
  • Observar engajamento nos vídeos do Youtube. Isso é interessante para criar pautas para vídeos da marca assessorada.

 

2. Monitoramento de redes sociais

O monitoramento de redes sociais faz parte de um olhar estratégico e analítico que temos de ter com a marca de nosso cliente. Aliás, temos um e-book que aborda esse assunto. Ainda não leu ele? Clica aqui para fazer o download.

E monitoramento de redes sociais tem muita relação com o comportamento do consumidor.

Isso acontece por que, ao planejarmos o monitoramento dos canais sociais, elencamos palavras-chave ou temáticas que devem estar em nosso radar.

Nome da marca. Termos sobre a concorrência. Palavras-chave sobre o nicho de mercado. Esses são alguns exemplos de temáticas que fazem parte do radar.

Mas há um ponto que não podemos deixar de lado (de jeito nenhum): a forma como o consumidor enxerga a marca, ou a menciona em compartilhamentos.

  • Análise de sentimento

No monitoramento de redes sociais, que é automatizado pelo Knewin Social, temos a possibilidade de executar uma estratégia fundamental para que consigamos preservar a reputação da marca assessorada: a análise de sentimento.

Temos alguns posts sobre o assunto no blog, mas para que fique claro, entenda o seguinte:

  • A análise de sentimento é uma estratégia que se caracteriza pelo monitoramento de comentários e/ou publicações que mencionam a marca assessorada. Mas não é só isso.
  • Depois de monitorar os comentários e/ou publicações, o assessor categoriza os conteúdos em neutro, negativo e positivo. O Knewin Social automatiza isso (fica a nossa dica aqui).
  • A partir dessa categorização, os profissionais de comunicação podem olhar para esses comentários de forma criteriosa e qualitativa. Isso ajuda a identificar o que pode ser ruim para a marca assessorada. E o que pode ser uma boa oportunidade também.

Nos comentários e/ou publicações, conseguimos observar, com cuidado, o comportamento do consumidor e as necessidades que não estão sendo atendidas pela marca.

Isso facilita a execução de um Atendimento ao Cliente efetivo e permite que consigamos estruturar um plano de contingência.

O resultado do monitoramento de redes sociais, com foco no comportamento do consumidor, é uma assessoria de imprensa muito mais completa e efetiva, alinhada com o que o público espera da marca de seu cliente.

 

3. Sugestão de pautas e releases

Se você leu o título deste tópico e ficou sem entender nada, calma. A gente vai explicar.

Elaboração de releases ou de sugestões de pauta são coisas que têm muita relação com o comportamento do consumidor.

Afinal, temos de elaborar conteúdos que sejam interessantes e relevantes para o público de interesse da marca e do veículo jornalístico. Certo?

E se não acompanharmos a forma como os consumidores se comportam, vamos acabar com o seguinte cenário:

  • Um monte de releases e sugestões de pauta enviados. Um total de poucos emplacados. E engajamento lá embaixo.

E não é para menos. Os assuntos do momento, que muitas vezes são influenciados pelo comportamento do consumidor nos canais sociais e no meio digital, são aspectos que devem estar inseridos em nossas ações de assessoria.

Temos de elaborar releases ou sugestões de pauta que estejam alinhados com os movimentos do público. E nisso também está inserido o Newsjacking (a gente tem post sobre isso).

Quando observamos a forma como o consumidor se comporta, conseguimos obter insights poderosos. Quer ver só?

  • Assuntos para sugestões de pauta.
  • Tipos de mídia que devem fazer parte do nosso conteúdo (áudios, fotos e vídeos, além do texto).
  • Veículos jornalísticos mais estratégicos.

Se colocarmos isso em nosso radar, nossas ações de assessoria vão ter os resultados impulsionados (para melhor, claro).

 

4. Forças e fraquezas da marca

Outro aspecto da assessoria de imprensa que sofre influência do comportamento do consumidor é a análise da Matriz SWOT.

Quem trabalha com assessoria de imprensa sabe que a matriz que analisa forças, fraquezas, oportunidades e ameaças de uma empresa específica é essencial para entender o negócio do assessorado.

Mas como a forma que o consumidor se comporta afeta isso?

Quando você analisa o comportamento do público de interesse e faz social listening (que vai muito além da análise de sentimento), você consegue perceber alguns detalhes que faltam na empresa de seu cliente e podem limitar as ações de comunicação.

Mas o cenário nem sempre precisa ser negativo. A partir da observação do comportamento do consumidor, conseguimos detectar oportunidades para nossos clientes.

Oportunidades essas que podem ter relação com sugestões de pauta. Mas também poder ter a ver com desenvolvimento de novos produtos e com uma relação mais engajada com os consumidores.

E sobre social listening, a gente tem um e-book que aprofunda o assunto.

 

5. Tomada de decisões empresariais

Por fim, o comportamento do consumidor também afeta a tomada de decisões dentro das empresas assessoradas.

E o seu papel como assessor de imprensa tem muita importância nesse cenário. Sabia disso?

Ao colocar em seu radar que é importante entender o comportamento dos consumidores da marca, você consegue estruturar um panorama, a partir de relatórios, que vão ajudar gestores a entenderem quais passos podem dar e o que devem evitar.

Tudo isso é importante para manter a assertividade no posicionamento da marca em uma era de competitividade empresarial acirrada. Qualquer detalhe faz a diferença.

Uma marca que entende seu público consegue desenvolver produtos ou serviços mais efetivos e que tragam melhores resultados.

Além disso, uma marca que compreende o comportamento do consumidor consegue ter um discurso mais sólido e que esteja alinhado com as exigências sócio-culturais.

Quer ver um bom exemplo? Em 2018, diversos estabelecimentos aderiram ao movimento mundial contra o uso dos canudos de plástico. E isso tem a ver com o comportamento dos consumidores, que estão mais conscientes com as questões ambientais.

Entender o público permite que os gestores deem passos mais efetivos. A finalidade é a busca de um relacionamento mais duradouro com os consumidores atuais e a busca da conquista de novos laços com pessoas que também estejam alinhadas com o discurso da marca.

Esperamos que você tenha compreendido a importância de colocar a observação e a análise do comportamento do consumidor em seu radar de assessoria de imprensa.

E se quiser se aprofundar no assunto e melhorar seus resultados na assessoria digital, não deixe de fazer o download do nosso e-book sobre social listening. Você vai ver que é possível obter muitas informações poderosas quando observamos os consumidores de forma analítica no meio digital.

O material é gratuito. Clica aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *