conteudo para redes sociais

8 formas de elaborar conteúdo para redes sociais na assessoria

Elaborar conteúdo para redes sociais pode ser um desafio para muitos assessores de imprensa. Afinal, profissionais que vieram da era tradicional estão acostumados em escrever releases, e não em pensar em materiais para Facebook, por exemplo.

O que fazer se essa tarefa é um desafio? Desistir não é a resposta. Estamos aqui para te ajudar e reunimos neste post 8 maneiras fáceis e incríveis de produzir conteúdo para redes sociais na assessoria de imprensa digital.

Seja um assessor de imprensa de sucesso com 8 tipos de conteúdo para redes sociais

As 8 dicas que reunimos neste post têm o objetivo de facilitar a sua rotina e trazer insights para a gestão de mídias sociais de seu cliente.

Não esqueça que nossas dicas funcionam como um guia para elaborar conteúdo para redes sociais, mas tudo depende do contexto da empresa assessorada, do público de interesse e da forma como a marca se comunica com os consumidores.

1. Lives

As transmissões ao vivo, além de fazerem parte das tendências de conteúdo para redes sociais, são ótimos recursos para aprimorar a visibilidade da marca no meio digital.

Presentes no Facebook e no Instagram, as lives permitem interação instantânea do consumidor com a marca e ajudam a humanizar a organização. Afinal, mostram para as pessoas que a marca também é feita por outros indivíduos.

Divulgação de produtos, entrevistas, Webinars, promoções exclusivas, transmissões de eventos, bate-papos e parcerias com influenciadores são exemplos de conteúdos para lives.

As transmissões ao vivo também são ótimos recursos para fazer com que os usuários migrem de um canal da marca para outro. Já experimentou convidar seu mailing de e-mail marketing para conferir uma live no Facebook?

Ou então um convite no Facebook para uma live no Instagram. Aproveite esse recurso para gerar tráfego e engajamento nos canais digitais de seu cliente.

No entanto, aqui fica uma ressalva. Não comece uma live espontaneamente. É importante avisar os consumidores com antecedência sobre a transmissão, para que as pessoas organizem as rotinas para aproveitar esse conteúdo para redes sociais.

Lives representam conteúdos poderosos, mas precisam de estratégias bem definidas para proporcionar resultados assertivos para as marcas.

2. Conteúdo dos usuários

Consumidores são produtores de conteúdo nas redes sociais. Fotos no Instagram, publicações no Facebook, geolocalização nas mídias sociais e hashtags no Twitter são exemplos de recursos utilizados pelas pessoas nos canais digitais.

Até mesmo você já deve ter produzido conteúdo para alguma marca, sabia? Uma simples foto de uma xícara de café em uma cafeteria ou uma caixa de um produto no conforto do seu lar são materiais que podem ser utilizados pelas marcas.

Sim, os materiais produzidos pelos consumidores são recursos poderosos para as mídias sociais das marcas. Existem ótimos motivos para fazer isso:

  • Valorização do consumidor (a pessoa se sente importante quando uma foto de um produto é compartilhada);
  • Conteúdo espontâneo (as pessoas fotografam momentos de lazer no Instagram);
  • Criação de engajamento (o usuário que teve a foto compartilhada vai comentar com os amigos, que vão curtir a publicação e, consequentemente, vão seguir a marca no meio digital);
  • Sensação de autoridade (se uma marca é compartilhada pelos usuários, é porque ela é boa, não é mesmo?)
  • União dos meios físico e digital (muitas marcas, atualmente, utilizam placas pelas lojas físicas com hashtags específicas para incentivar o compartilhamento de fotos nas mídias sociais).

Então, aproveite esses conteúdos para traçar uma estratégia de gestão de mídias sociais na assessoria digital.

Não esqueça que assessoria digital é sobre interação com outras pessoas, e os conteúdos publicados nas mídias sociais, com hashtags e geolocalização, podem ajudar nessa missão.

Curta as fotos no Instagram que estejam com hashtags e geolocalização relacionadas à marca, comente e pergunte se você pode compartilhar. Compartilhe nas redes sociais, inclua o nome de usuário da pessoa (o que vem acompanhado de um @) e valorize os consumidores. Essa é uma ótima forma de gerenciar mídias sociais de forma assertiva.

3. Infográficos

Os infográficos são outro formato de conteúdo para redes sociais que você pode investir no planejamento de assessoria de imprensa, sabia disso?

Drops de informação, elaborados em formato visual, ajudam a aguçar a curiosidade do usuário, facilitam o compartilhamento do conteúdo e informam de um jeito fácil.

Informações complexas, dados, assuntos relacionados a eventos, cursos e curiosidades sobre produtos podem ser elaborados em formato visual.

Você pode utilizar o site Canva para elaborar esses cards infográficos, por exemplo. Ou utilizar o Stories do Instagram para disparar esses conteúdos.

Não esqueça que vivemos a era dos dispositivos móveis, em que informações visuais são mais atrativas para as pessoas, pois podem ser consumidas na tela do celular.

4. Curadoria de conteúdo

Marcas que estão começando a entrar no meio digital podem ficar perdidas em relação ao que publicar nas mídias sociais.

Então, o assessor de imprensa precisa pensar, estrategicamente, em uma base para conteúdo para redes sociais.

Uma ótima forma de solucionar esse problema é investir em curadoria de conteúdo. Mas o que seria isso? Simples. Faça links para publicações de blogs ou de outras autoridades sobre o tema.

Mídias sociais de jornais, revistas, Instituições governamentais, blogs e influenciadores digitais são fontes para curadoria de conteúdo.

Não tenha vergonha de fazer curadoria. Essa estratégia é importante para ganhar autoridade no meio digital e para mostrar aos seguidores que a marca utiliza fontes confiáveis sobre o assunto.

5. Memes

O quinto tipo de conteúdo para redes sociais que selecionamos para este post tem a ver com memes. Ele precisa ser aproveitado com cautela pelas marcas. Afinal, tudo depende da forma como a empresa se comunica com o público de interesse.

Conteúdos que viralizaram, assuntos que os usuários digitais compartilharam com frequência, vídeos que alcançaram milhões de visualizações em pouco tempo, frases que viraram parte do vocabulário nas pessoas, assuntos que fazem parte dos TTs do Twitter, séries que são tendência no momento… Tudo isso pode virar conteúdo para as marcas.

Claro que é preciso fazer relação com o nicho de atuação da marca, não é mesmo? Afinal, precisamos manter um discurso sólido no meio digital.

No entanto, usar memes paras produzir conteúdo de qualidade para a mídia social do cliente é aproveitar todo o potencial que a internet proporciona.

Sair da curva, quando possível, é importante para gerar engajamento a partir de  um conteúdo que fala a mesma língua que o consumidor.

6. Campanhas para engajamento

Outra forma de investir em conteúdo para redes sociais na assessoria de imprensa é pensar em campanhas que geram engajamento e materiais relacionados à marca.

Instamissions, campanhas com uma hashtag específica, ações para datas comemorativas e incentivo do uso da geolocalização nas publicações  são exemplos de estratégias para geração de conteúdo para o meio digital.

O usuário digital adora compartilhar informações nas mídias sociais. Então, as marcas podem aproveitar isso e incentivar a geração de conteúdo.

A Perky shoes faz isso com a hashtag #perkyporaí no Instagram, incentivando os consumidores a publicarem fotos com os sapatos pelas cidades. Influenciadores digitais também fazem isso ao publicar receitas e pedir para que as pessoas compartilhem se fizerem em casa.

7. Enquetes

Pedir a opinião dos seguidores é uma ótima estratégia de conteúdo para redes sociais. Afinal, quem não gosta de enquetes, não é mesmo?

Essa tem sido uma estratégia muito utilizada por marcas e influenciadores digitais no recurso Stories do Instagram e em publicações do Facebook.

No Instagram, há uma funcionalidade para elaborar enquetes, que permite analisar quem respondeu e qual foi a opção escolhida pela pessoa.

Enquetes são divertidas, geram engajamento e mostram para a pessoa que a marca se importa com a opinião dos consumidores. Pontos para seu trabalho com assessoria de imprensa.

No Facebook, é possível elaborar uma publicação visual com o que a marca está em dúvida. Pode ser sobre a cor de um produto, qual temática as pessoas mais gostam de ler ou qual a opinião delas sobre determinado assunto. As reações são muito utilizadas para essa finalidade.

O importante é compreender que enquetes são recursos poderosos para a visibilidade de uma marca nas mídias sociais e, além disso, são rápidas, divertidas e fazem parte de uma estratégia de social listening, que tem como objetivo ouvir o consumidor e entender quais são as necessidades dessas pessoas.

8. Compartilhamento de avaliações

O oitavo (e último) tipo de conteúdo para redes sociais que selecionamos para este post tem a ver com as avaliações dos usuários recebidas nos canais digitais da marca.

Sabe aquela mensagem legal que você recebe na caixa de mensagens do Instagram? Ou a avaliação no Facebook? Ou o feedback do consumidor em algum canal de comunicação da marca? Use isso a seu favor.

Alimente as redes sociais de seu cliente com esse tipo de conteúdo. Afinal, é uma forma de mostrar autoridade para possíveis consumidores, de garantir visibilidade para a marca e de aguçar a curiosidade nas pessoas.

Se falam bem da marca, por que não compartilhar? No entanto, não esqueça que feedbacks negativos também devem fazer parte do planejamento de assessoria. É importante analisar as críticas, solucioná-las e sempre melhorar a relação entre a marca e os consumidores.

Para se aprofundar no assunto sobre conteúdo para redes sociais, sugerimos o download do nosso e-book Assessoria de imprensa e mídias sociais – 18 coisas que você precisa entender.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *