empatia

Empatia: palavra-chave na rotina da assessoria de imprensa

Empatia é algo que deveria fazer parte do vocabulário da assessoria de imprensa. Essa palavra, que tem um grande peso nas relações entre as pessoas, pode trazer boas mudanças e ótimos resultados nas gestão da comunicação externa.

Aliás, empatia é algo que você deveria praticar em todas os campos da sua vida. O ato de se colocar no lugar do outro e aprender a ouvir é capaz de mudar seu dia a dia de forma significativa.

Mas nosso foco neste post é te mostrar que essa palavra tem muita relação com a gestão de comunicação externa, ajudando a melhorar a imagem do cliente nos meios físico e digital, bem como melhorando a relação com jornalistas e com o assessorado.

Empatia e assessoria de imprensa andam de “mãos dadas”

Talvez você esteja estranhando um post sobre empatia em um blog sobre assessoria de imprensa. Mas não há nada de estranho nisso. Aliás, as pessoas deveriam falar com mais frequência sobre esse tema e praticá-lo em suas vidas.

Com a prática da empatia, do ato de compreender a outra pessoa, muitas relações seriam mais harmônicas. E, nesse cenário, incluímos a rotina da assessoria de imprensa.

Sabemos que nem sempre é fácil ouvir os outros. Mas essa é uma prática importante para que possamos aprender coisas novas e entender que, às vezes, nossa opinião sobre uma ideia pode ser diferente do que a de nosso cliente, por exemplo.

Com frequência, falamos aqui no blog sobre o fato da assessoria de imprensa ir além da elaboração de estratégias. Afinal, o profissional de comunicação externa lida com os mais diversos públicos.

Sem empatia, é difícil que um plano de comunicação saia da estaca zero, bem como torna desafiador o trabalho de conquistar novos consumidores. Afinal, estamos lidando com pessoas.

Além disso, é importante lembrarmos que vivemos um momento bem peculiar na assessoria de imprensa. Hoje, o consumidor produz informação e entra em contato com muitos conteúdos, o que o torna muito mais exigente.

Marcas que se posicionam no meio digital sem entender que precisam aprender a ouvir o público (e a entender que apenas “vender o peixe” não basta) ficam para trás. E não é isso que você deseja para seu cliente, não é mesmo?

Entenda como a empatia é benéfica para a assessoria de imprensa

Quando aprendemos a ouvir os outros, entendemos que existem diversas opiniões e que elas podem ser muito construtivas.

No cenário da Comunicação Social, principalmente no contexto da assessoria de imprensa, empatia significa entender que nem sempre precisamos concordar com a opinião alheia, mas devemos respeitar e considerar as ideias de forma construtiva.

Selecionamos os 4 principais públicos da assessoria de imprensa para você compreenda que se colocar no lugar do outro e aprender a ouvir são coisas essenciais para qualquer relação harmônica.

1. Relacionamento com o cliente

Quando falamos de relacionamento entre assessor e assessorado, muitos profissionais preferem até evitar a temática. Afinal, as opiniões divergem, as estratégias traçadas nem sempre são aceitas e, em muitos casos, ambas as partes não sabem ouvir “não”.

É aqui que ser empático vai melhorar (e muito) sua rotina. No relacionamento com o assessorado, você precisa entender dois pontos importantes: seu cliente, na maioria dos casos, não tem conhecimentos aprofundados sobre a área da Comunicação Social e você não tem o conhecimento aprofundado sobre a cultura da empresa.

Então, aprenda a ouvir seu cliente e considere as ideias dele em relação ao planejamento de comunicação traçado para a empresa dele. Muitos insights podem surgir desse simples ato de aceitar que os outros têm ideias diferentes das nossas.

2. Relacionamento com jornalistas

O relacionamento entre assessores e jornalistas é permeado por uma linha muito tênue. Follow-up, disparo de releases e envio de sugestões de pauta podem passar de rotina profissional para inconveniência em um piscar de olhos.

A empatia é um segredo para manter a sua imagem profissional harmônica com a imprensa, bem como é essencial para evitar que seu cliente fique marcado de forma negativa nas redações jornalísticas.

Se coloque no lugar dos jornalistas e avalie questões como: que horas o release é disparado? Será que você não está fazendo follow-up em excesso? Será que meu e-mail é interessante em meio a tantos outros?

Essas são apenas algumas das questões que você pode avaliar para manter uma relação harmônica com a imprensa. São coisas que poderiam até mesmo fazer parte de um guia de boas práticas para assessores de imprensa, você não concorda?

 

3. Relacionamento com consumidores da marca

Na era da assessoria de imprensa tradicional, muitos profissionais de comunicação externa estavam acostumados a apenas “vender o peixe” do cliente e entregar ao público apenas o que achavam que iria ajudar na divulgação da marca.

Hoje, isso mudou. Com o uso das mídias sociais, as assessorias de imprensa precisaram repensar a maneira como lidam com o consumidor digital.

Afinal, o público é produtor de informação e de opinião, que podem ser aproveitadas de forma positiva e construtiva pelos assessores de imprensa.

A empatia cabe nessa relação ao entender que é importante aprender a ouvir o que o público tem a dizer. Às vezes, achamos que temos noção das necessidades de nossos consumidores, mas podemos estar enganados.

As mídias sociais são canais poderosos para ouvir o que as pessoas estão dizendo sobre a marca, sobre o produto oferecido e sobre as necessidades que a empresa não atende.

Essa atitude, conhecida como estratégia de social listening, permite que as marcas consigam se reposicionar no mercado, sempre alinhadas com as necessidades e as opiniões do público de interesse.

4. Relacionamento com colaboradores

Por fim, colocamos neste post um aspecto voltado para comunicação interna: o relacionamento com colaboradores da empresa assessorada.

Assessores se preocupam tanto com comunicação externa que acabam esquecendo que muitas mudanças e estratégias começam dentro de casa.

O relacionamento com os colaboradores da empresa é essencial para que as estratégias de comunicação externa deem certo. Afinal, todos precisam falar a mesma língua e estar cientes dos objetivos da empresa.

Ser empático nesse relacionamento é essencial. É importante compreender as dores e as forças desse público interno, que é essencial para que a empresa seja produtiva.

Conversar com os colaboradores, elaborar treinamentos que solucionem fraquezas da empresa e criar estratégias que motivem esse público são passos importantes para o sucesso das marcas.

No entanto, você precisa explicar ao seu cliente que essa empatia no relacionamento com os colaboradores também precisa fazer parte da gestão da organização.

Afinal, não adianta a assessoria de imprensa traçar estratégias para o público interno se os gestores não entendem que é necessário ouvir essas pessoas.

E para manter relações harmônicas com os públicos inseridos no contexto da assessoria de imprensa, sugerimos o download do nosso e-book Assessoria digital: 6 públicos que você deveria valorizar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *