media training

4 justificativas para convencer o cliente a investir em media training

Media training, treinamento de imprensa em português, é uma das estratégias da assessoria  de imprensa mais significativas para a consolidação de empresas. Afinal, é um treinamento que permite o aperfeiçoamento do diálogo com o público externo. No entanto, o que fazer quando o cliente não entende a importância da estratégia?

4 argumentos para convencer o cliente a fazer media training

Quando o assessor de imprensa tem um cliente que reluta em entender a importância de estratégias como o media training, é necessário usar toda a habilidade profissional para elaborar argumentos pertinentes para mudar a opinião do outro.

Além disso, é importante ter paciência. Não esqueça que pessoas que estão fora do círculo da comunicação podem não compreender os motivos de investir em determinada estratégia.

Por isso, elaboramos para este artigo 4 argumentos que você pode usar quando o cliente disser “por que eu tenho que fazer media training?”.

Mas aqui vale um alerta: não esqueça que cada caso é um caso. Então também é preciso explicar para o cliente que a estratégia pode ser executada de diversas formas (dependendo do porta-voz escolhido e dos objetivos da empresa).

1. Preparação para crises

O primeiro argumento para justificar a prática de treinamento de imprensa é o seguinte: crises serão menos turbulentas se o porta-voz da empresa souber se comunicar com o público externo.

Afinal, crises não são momentos fáceis para as empresas. Se o representante da marca não souber como encarar coletivas, entrevistas e demais pronunciamentos, o que está em jogo é a reputação do negócio.

Ou seja, é fundamental saber como lidar (de forma transparente e honesta) com jornalistas, consumidores e demais públicos.

O media training serve justamente para isso. A partir de simulações com entrevistas, o porta-voz escolhido passa por uma preparação para construir um discurso claro e que não comprometa ainda mais a imagem da empresa em momento de crise.

Além do mais, vale a pena explicar para o cliente que essa preparação garante maior credibilidade ao porta-voz (e para a empresa em geral). Afinal, como a pessoa vai estar preparada para responder perguntas de forma satisfatória, a chance do público acreditar no discurso aumenta.

2. Consolidação da imagem da empresa

Media training também significa consolidação da imagem e da reputação da empresa. Esse é um argumento válido para justificar essa estratégia da assessoria de imprensa.

Um dos motivos que levam uma pessoa a investir em um serviço da área de comunicação é a manutenção da imagem da empresa. Isso está relacionado à saúde do negócio e melhora na receita.

No entanto, não adianta o assessor de imprensa elaborar um ótimo planejamento, escrever releases excelentes, emplacar pautas na imprensa e tantas outras coisas se os discursos forem distintos.

O treinamento de imprensa é essencial para mostrar ao porta-voz (seja ele o cliente, o diretor da empresa ou qualquer outra pessoa) qual é a tonalidade do discurso que deve ser utilizado ao se comunicar com público externo e imprensa.

Essa estratégia vai permitir que exista um discurso único e consolidado, evitando que exista ruído na comunicação. Além disso, permite que quem está de fora perceba que o representante da marca está preparado para lidar com diversas situações de forma clara, calma e satisfatória.

3. Melhora do discurso

Um discurso claro e objetivo faz toda a diferença ao se comunicar com o público externo. Esse é um dos princípios do treinamento de imprensa que você deve explicar ao cliente.

Quando o porta-voz é colocado em situações em que precisa responder questões feitas por jornalistas, se não tiver um discurso eficaz, pode complicar a situação da empresa.

Às vezes, quando não estamos aptos a falar em público, acabamos dizendo coisas que não deveríamos ou expressamos palavras que podem ser interpretadas de forma ambígua ou negativa. Assim, é fundamental treinar. Treinar muito.

O treinamento permite que o porta-voz aprimore as habilidades da conversa, possibilitando que o assessor de imprensa consiga identificar pontos fracos e fortes na postura do representante da empresa.

É importante que você explique que quando o porta-voz tem uma boa postura (de fala e de expressão corporal), passa credibilidade. Isso ajuda a melhorar a reputação da empresa, já que o profissional pode ser visto como uma fonte de nicho para os jornalistas.

4. Conhecimento da rotina jornalística

O último argumento que selecionamos (mas tão importante quanto os outros) é que o media training permite que o cliente e o porta-voz escolhido entendam como funciona a rotina do jornalismo.

Dessa forma, eles vão conseguir visualizar por que determinada pauta não emplaca, enquanto outra sugestão pode ser aceita pelos jornalistas. Esse aprendizado é fundamental, já que pessoas que não são da área da comunicação nem sempre têm noção de como funciona a escolha e a produção dos conteúdos noticiosos.

O porta-voz também vai estar apto para manter um olhar aguçado sobre assuntos que possam servir como atrativos, além de ter noção de como se portar em uma entrevista em um telejornal, por exemplo.

Como sabemos que nem sempre é fácil convencer o cliente a investir em estratégias de comunicação, sugerimos o download do e-book 10 dicas imprescindíveis para vender serviços em assessoria de imprensa. O material pode facilitar a rotina de sua agência.

10 dicas imprescindíveis para vender serviços em assessoria de imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *